Óleos Essenciais

Óleos Essenciais – a essência da natureza

Os óleos essenciais são a forma de energia vegetal mais concentrada. São verdadeiras joias.

O uso de plantas aromáticas para saúde e beleza é muito antigo – na forma de unguentos, queima de resinas, óleos aromáticos. Com o desenvolvimento do processo de destilação, foi possível obter os óleos essenciais – a partir de flores, raízes, sementes, folhas, frutos, caule e cascas.

Os óleos essenciais são usados em medicamentos, cosméticos, materiais de limpeza, culinária e indústria de alimentos, perfumaria, terapêutica. No caso de uso terapêutico, tem-se a AROMATERAPIA, num tratamento de saúde cientificamente comprovado e natural, onde temos a a ação química dos componentes específicos de cada óleo essencial; a ação sutil dos aromas na mente e emoções, observada assim que são inalados. Também temos a ação energética-vibracional (no campo de energia), pois os óleos essenciais têm o mesmo padrão de energia da planta original, beneficiando, assim, quem os utiliza.

O uso de óleos essenciais tem aumentado muito nas últimas décadas. Estamos vivendo um boom da Aromaterapia no Brasil. Mas, para nos beneficiarmos totalmente dessas substâncias, precisamos conhecer bem o produto – aplicações, combinações, dosagens, etc. E ter um óleo de boa procedência.

Os óleos essenciais são voláteis, evaporam rápido. Sao aromáticos, concentradíssimos.

Um óleo essencial (OE) é um conjunto de substâncias químicas – de 20 a mais de 200 substâncias diferentes. A complexidade química dos OE é o que explica sua grande ação terapêutica. Elas participam de reações nas células, algumas atuam num sistema, outras em outro, por isso o OE é tão versátil. O corpo entende essas substâncias como algo bem vindo e escolhe as necessárias. Mas, usar o OE focando apenas sua ação química é uma forma limitada, não valorizando a maravilhosa interação com o Reino Vegetal.

Todos os sistemas orgânicos podem ser tratados com óleos essenciais devidamente diluídos – com exceção da mucosa visual.  Os OE restauram o equilíbrio em todos os níveis, fortalecem tecidos, aumentam o nível de energia, melhoram o humor, protegem contra a negatividade … num tratamento totalmente natural.​  Mas os efeitos dos OE dependem de sua pureza e forma correta de utilização.

NOTA: utilize óleos essenciais com cuidado e consulte o médico em casos de gravidez, pressão alta, epilepsia, diabetes, etc. Nenhuma informação aqui apresentada pretende substituir tratamento médico ou terapêutico que se faça necessário.

Eficazes em primeiros socorros (problemas no sistema respiratório, traumas, etc.), os OE podem ser usados em qualquer tratamento, dos cabelos aos pés. Capazes de reduzir inflamações, contribuir para a cicatrização, retardar o efeito do envelhecimento, etc. Os OE ajudam na desintoxicação e a tratar muitas condições na pele (micoses, acne). Atuam como antissépticos, regeneradores, antioxidantes, etc. Os OE enriquecem qualquer tratamento devido à experiência com o olfato.

Muito mais do que apenas um cheirinho agradável, os OE têm eficácia comprovada em muitos estudos realizados no mundo todo. Mas sempre é importante lembrar que são substâncias muito concentradas, devemos ter cuidado para não haver uma intoxicação ou alergia devido ao uso inadequado..

São basicamente três os métodos de aplicação: uso aromático (aspirando ou usando difusor); uso tópico (sola dos pés, fricicionando a área afetada, massagem); e uso interno. ATENÇÃO: o uso interno dos OE é assunto polêmico no Brasil, e requer maior conhecimento. Recomenda-se, especialmente nesse caso, procurar profissional devidamente capacitado para essa indicação.

Nos cuidados corporais, podemos aproveitar os benefícios dos OE de variadas maneiras: massagens, fricções, inalação e vaporização, banhos, compressas (quentes ou frias, com água ou argilas), escalda pés, em cosméticos, como perfume natural, bochechos e gargarejos, banhos de assento, etc. O efeito aromático dessas maravilhosas substâncias é enfatizado quando usamos gotas no travesseiro, sachês, velas aromáticas, inalação e difusão aérea.

Os aromas trazem lembranças e sensações. Temos dentro de nós algo como ‘arquivos olfativos’ – determinados cheiros nos fazem recordar de pessoas, lugares, tempo… Com a aromaterapia, pode-se usar os aromas de forma intencional, provocando sensações de prazer, alegria, relaxamento, bem-estar. Mas, o aroma que agrada a um pode causar aversão a outra pessoa…

A aromaterapia age de forma holística no organismo. Emoções, hormônios e respostas de cura são influenciados pelos aromas dos OE.

Os aromas influem no humor e em estado mentais como agressividade, atenção, impulso sexual. Além dos efeitos benéficos dos OE, podemos usar naturalmente o aroma de plantas: com flores, ervas frescas ou secas e até mesmo algum alimento.

 

CUIDADOS GERAIS ao usar óleos essenciais:

  • conhecimento de suas propriedades e utilização – indicação, contraindicação e quantidade;
  • adquirir o produto de fornecedor confiável. Use apenas OE 100% puros. Enquanto os aromas de plantas naturais são benéficos, as fragrâncias sintéticas podem causar sintomas desagradáveis;
  • diluir o OE para usar – os óleos vegetais são os melhores veículos para diluir OE quando for aplicar na pele;
  • manter o OE em embalagem de vidro, ao abrigo de luz, umidade e calor, e bem fechado (evapora facilmente e, em contato com o ar, uma diluição pode oxidar);
  • evite usar OE próximo à área dos olhos e mucosas. Cuidado com áreas sensíveis, como ouvido e nariz;
  • lave bem as mãos antes e após a aplicação;
  • especial cuidado ao usar óleos essenciais em peles sensíveis, crianças e gestantes;
  • manter os OE longe do fogo e do alcance de crianças;

E lembre-se, a diferença entre o remédio e o veneno está na dose….

 

IMPORTANTE: Conhecer o OE, saber como misturá-los, qual a dosagem e como aplicar

 

No mundo todo há mais de 300 OE sendo usados para saúde e beleza. Diversos fatores determinam a escolha: segurança, disponibilidade no mercado, preço, propriedades terapêuticas, etc. A possibilidade de escolha de OE é enorme. O fato de um óleo ser popular significa que já se conhece mais sua utilização, tornando-o mais seguro. Visando facilidade e segurança para quem está se iniciando na aromaterapia, sugere-se começar com os seguintes: alecrim, eucalipto, lavanda, laranja, capim limão, hortelã e melaleuca. A indicação e possibilidades de uso dos OE é extensa, eles são muito versáteis. Resumidamente, recorda-se algumas características deles:

O ALECRIM (Rosmarinus oficinalis) é excelente estimulante circulatório. A ‘erva da coragem’. Um cardiotônico. Evite em hipertensos e epilépticos.

A LARANJA (Citrus aurantium) traz alegria e flexibilidade e estimula o sistema digestivo.

O HORTELÃ PIMENTA (Menta piperita) é um óleo extremamente versátil. Refrescante, muito conhecido para tratar inchaço e dores de caeça.

A LAVANDA (Lavandula augustifolia) é popular por sua ação ansiolítica e relaxante, pois é supressora do Sistema Nervoso.

O EUCALIPTO (Eucaliptus globulos) refresca e areja mente e ambientes. Muito conhecido por sua ação nas vias respiratórias.

O CAPIM LIMÃO (Cymbopogum citratus) promove a desintoxicação e age como um regulador dos ânimos.

A MELALEUCA (Melaleuca alternifolia) é conhecidíssima por sua ação antisséptica em pele e unhas. Promove limpeza no campo sutil e no ambiente também.

 Estar imerso no mundo dos aromas é ampliar sua consciência. Os cheiros têm o poder de nos trazer o puro prazer. Eles vão em níveis profundos, estimulam a imaginação, de forma somente possível na experiência do olfato.

Autora: M. Aparecida Angeletti (Sidarah) – Aromatóloga e Terapeuta Holística
CRTH-BR 1546 ABRATH
Contato: (27) 99696-3410 – sidarah@gmail.com
Facebook: https://www.facebook.com/sidarahterapeuta